3-edicao-do-so-track-boa-festival-marca-o-feriado-da-independencia-revista-backstages
Só Track Boa Festival. Foto: divulgação.

O Só Track Boa Festival prometeu e cumpriu realizar uma edição inesquecível no ano de 2018. Grandes nomes nacionais e internacionais marcaram o feriadão de 07 de setembro no Estádio do Canindé, em São Paulo, e fizeram do evento um momento marcante aos frequentadores que estiveram presentes.

O local, que foi dividido por dois palcos, sendo eles o Main Stage (palco principal) e Garden Stage, mostrou uma boa distribuição do espaço e comportou bem o seu público. Além disso, foi construído um camarote anexo ao palco principal, restrito aos convidados da organização do evento (além da produção em geral e os artistas presentes), no qual o acesso geral do público não era permitido, razão pela qual a venda geral fora liberada apenas para o setor pista nesta última edição do festival em destaque.

Ademais, vale frisar também sobre a oferta de serviços gerais, conforto e diversão ao público presente no festival em destaque, que também foram bem distribuídos. Foram instaladas, portanto, áreas específicas como de alimentação, banheiros químicos, arquibancadas, cabine de fotos, chapelaria, e a loja Só Track Boa.

Áreas de alimentação

Quanto às áreas de alimentação, o evento ofereceu serviços variados e de alta qualidade ao público, apesar de que os preços em geral seguem os padrões dos demais festivais de música eletrônica que ocorrem no Brasil. Os espaços delimitados estiveram presentes tanto no camarote como em todos os palcos, que foram anexos aos mesmos.

Vale ressaltar que o consumo aos itens gerais do evento se deu por meio de recarga digital de cartões Eyecashless. Tal sistema é hoje comumente utilizado nos festivais afora.

Banheiros químicos

Já quanto aos banheiros químicos, a organização prezou muito pela limpeza e conservação destes, e foi feito um trabalho reforçado para manter um bom estado.

Arquibancadas

Sobre as arquibancadas, as mesmas serviram de espaço tanto para diversão do público como área de descanso, por terem cadeiras presentes onde os frequentadores podiam sentar e até mesmo descansar, além de que poderia se ter uma visão plana do palco principal.

Cabine de fotos

A cabine de fotos foi um espaço anexo ao palco principal, que utilizou a temática cenográfica do evento: se compôs de um fundo amarelo com a logo decorada do Só Track Boa Festival, de bóias rosas e da placa #SauDaDis (que representa o lema da label party), que se situou logo à frente de sua saída. Tal espaço foi utilizado a fim de possibilitar ao público um registro exclusivo do evento, baseado na sua temática e gerando mais uma oportunidade de diversão.

Chapelaria

A chapelaria foi um espaço presente também no Main Stage e foi utilizada com a finalidade de possibilitar o resguardo de pertences pessoais do público, como mochilas e acessórios, que podem ser dispensáveis na hora da diversão. Para que o frequentador tivesse direito ao uso desse mecanismo, era necessário que o mesmo arcasse com uma taxa delimitada pelo evento, que poderia ser paga mediante a utilização do cartão Eyecashless.

Loja Só Track Boa

A Loja Só Track Boa, também anexa ao palco principal, foi implantada com o intuito de promover a marca para seus fãs e estimular a venda de seus produtos exclusivos, como camisetas e acessórios em geral (bonés, pulseiras, adesivos, copos, bandeiras, etc.).

Quanto aos palcos presentes no evento, Main e Garden Stage, nos ateremos às apresentações (settimes) que marcaram o feriadão da Independência, e falaremos separadamente um pouco sobre cada uma das áreas delimitadas abaixo:

Primeiramente, destacaremos o palco principal (Main Stage), que recebeu apresentações dos grandes ícones nacionais da cena eletrônica, como Cat Dealers, KVSH, Dubdogz, e Bruno Be, além de figuras globais da cena que foram de grande valia para o evento, como Chris Lake, Fisher e o anfitrião Vintage Culture, que surpreendeu em sua apresentação de duas horas de set e levou os fãs ao alto com a sua sonoridade envolvente.

Inicialmente, a área em destaque recebeu a apresentação de abertura de RDT, projeto musical de Marcelo Arditti, que foi uma das figuras responsáveis pela produção do evento e também sócio da Entourage. Após, seguiram-se os sets dos duos Volac e Dashdot, que mostraram seus sucessos musicais e considerados hoje como uma das maiores atrações da cena eletrônica.

Vale ressaltar também que o palco em referência também recebeu participações especiais em collabs de músicas co-produzidas por algumas das atrações da festa. Exemplos são Vitor Kley em conjunto com Dubdogz e Gabriel, O Pensador com Chemical Surf.

Em sequência, entraram ao palco nomes como os ícones nacionais e internacionais destacados no parágrafo que introduz sobre tal espaço, e ainda recebeu Mandrágora como atração de encerramento do festival, que foi responsável por trazer uma energia psicodélica através do peso de seu som.

Além disso, o Main foi o espaço onde recebeu maior quantidade de público, e responsável por ocupar maior parte do estádio. Por esta razão, foi construído através de uma estrutura de ponta em formato triangular e de dois andares laterais, baseada no formato apresentado na edição de 15 anos do Kaballah Festival, que aconteceu em maio deste ano. Vale ressaltar que o palco em referência recebeu performances artísticas e acústica impecáveis, porque nada melhor que entrar no clima da vibe com o som estourando nos ouvidos.

Já sobre o Garden Stage, construído no Village Canindé (local onde normalmente tem recebido os principais eventos de música eletrônica na capital paulistana), foi aquele que recebeu atrações associadas à vertente tech house e afins. Considerado por muitos como o “novo EDM”, esse gênero tem conquistado cada vez mais pessoas, devido à popularização de artistas como Chris Lake, Fisher, Gorgon City, e por ser muito ritmado, envolvente e dançante.

Para iniciar o que seria uma noite memorável, a dupla brasileira Fatnotronic se apresentou, sendo uma futura promessa nacional. Na sequência, os veteranos NTFO e Gui Boratto assumiram o palco.

Conhecidos e adorados pelo público brasileiro, Amine Edge & Dance subiram ao palco por volta das 3h da manhã e, apesar do frio, mostraram as suas melhores tracks aos presentes, assim como o duo Gorgon City, conhecido pela faixa Imagination, que foi representado somente por RackNRuin. Durante o amanhecer, o último set mencionado neste parágrafo funcionou como uma boa surpresa para quem permaneceu no palco, pois diversas tracks ID ou recentes foram tocadas.

Dando continuidade às atividades do palco, pela primeira vez Bruno Furlan e DJ Glen se uniram para um B2B. Ambos juntos apresentaram suas melhores produções, o que possibilitou que o público presente fosse ao delírio.

O clima se manteve quando os amigos de longa data Fisher e Chris Lake se uniram para apresentação conjunta e tocaram sucessos como Losing It, Stop It e Turn Off The Lights.

O festival foi encerrado por Vintage Culture, que após sua apresentação no palco principal, tomou o Garden Stage desde as 11 da manhã às 17h, encerrando um super after set na terceira edição do Só Track Boa Festival de São Paulo (local-sede da label party), que ano após ano cresce desenfreadamente.

Deixe seu comentário